Últimas Notícias

ELE MORREU POR MIM


Num cemitério de Paris encontra-se um túmulo que chama a atenção. Na cruz de mármore há um nome e uma frase: “Ele  morreu por mim”. Um pouco abaixo, escrita por um visitante, outra frase: “E não morreu em vão”. A sepultura conta a história comovente de um soldado que morreu salvando a vida de um amigo.
NESTA Semana Santa, vale a pena repetir as duas frases: Ele morreu por mim e ele não morreu em vão. Num dia distante, alguém morreu por mim, morreu por todos  nós. E temos certeza que Ele não morreu em vão. Jesus assumiu a condição humana. Assumiu as nossas culpas e numa sexta-feira, jamais esquecida, morreu por mim na cruz.
MAIS DE dois mil anos depois, cada um de nós, com a própria vida, precisa deixar claro que essa morte não foi inútil. O sangue e a água que jorraram do lado de Cristo, abriram para mim as portas da felicidade e da vida. Mas Ele não morreu só por mim, morreu por todos. A cada um de nós cabe a responsabilidade de lutar para que essa morte não tenha sido em vão.
O SANGUE e a água do Redentor continuam jorrando sobre a história humana. É uma história de lágrimas, violência, injustiça, desigualdades sociais, corrupção, desemprego, fome e doenças, mas é também e, sobretudo, uma história definitivamente marcada pela graça e pela redenção. É a história da Salvação. É a vitória da Vida sobre a morte. Passagem da morte para a vida. Isso é Páscoa.
A RESSUREIÇÃO de Jesus é um fato único e jamais se repetirá. A morte não devolve suas vítimas,  mas Deus é maior do que a morte. Paulo apóstolo lembra que nossa Fé sustenta-se sobre um pilar único: a Ressurreição de Jesus. É isto que nós festejamos na Páscoa. Como as mulheres do Evangelho, voltamos ao túmulo e lá ficaremos sabendo desta incrível, mas verdadeira notícia: Ele voltou da morte. E com isso abriu, para  nós,  a porta da Ressurreição.
DUAS FRASES iluminam aquela manhã única na história. Ide à Galiléia, diz o Senhor, lá me vereis. Significa: Ele caminha à nossa frente. A outra frase foi dita por Maria, uma cortesã escandalosa de Magdala, denominada Madalena, mas que mudou radicalmente a vida, ao conhecer Jesus: Eu vi o Senhor (Jo 20,18). Pensando nisso, desejo a você leitor uma feliz e abençoada Páscoa com Jesus Ressuscitado em sua vida e em sua família.
+ Itamar Vian
Arcebispo Emérito
di.vianfs@ig.com.br

Nenhum comentário